Patrono 2017 - Paulo Flávio Ledur

terça-feira, 30 de abril de 2013

30 de Abril para os Caçapavanos

Em 30 de abril de 1839 foi apresentado pela primeira vez na Segunda Capital Farroupilha, Caçapava do Sul, a Bandeira e o Hino Rio-Grandense.

“Viva a Generosa Nação Rio-Grandense!” é um livro de Pedro Vanolin que narra os passos da Farrapofest que reviveu esta passagem 160 anos atrás. O evento ocorreu em 1999. No livro, o escritor através de uma adaptação de Olavo Bilac descreve o guerreiro farrapo:


Farrapo!



Farrapo! Este nome criado pelo desprezo será nobilitado pela inevitável gloria da justiça do tempo.

Farrapo será um título de suprema honra! 

Muitos dos nossos guerreiros são pobres, maltrapilhos, que acampam e dormem ao relento, contentando-se com um bocado de carne crua, com a face voltada para as estrelas. 

Eles não têm dinheiro, nem uniforme, não podendo renovar as botas ou ponchos, que o pó das estradas, as balas, as cutiladas, as chuvas entraçalham e fazem apodrecer. 

Nossos guerreiros têm orgulho do que são, do que fizeram das suas escolhas, da sua determinação e bravura, sendo mais ricos assim, possuindo apenas o seu cavalo, a sua garrucha, a sua lança, a vontade de viver num chão livre, olhando para a estepe infinita que os cerca, para o infinito céu que os cobre e, entre esses dois infinitos, expandir, espalhar, transportar no vento minuano o seu ideal de justiça e fraternidade.

Homenagem ao escritor Paulo Flávio Ledur

Por Janaína Souza
 



Boa noite, Senhoras e Senhores!

É com muita honra, que apresento-lhes o palestrante da noite.

Paulo Flávio Ledur é Licenciado em Letras pela Faculdade Porto-Alegrense de Educação, Ciências e Letras (FAPA) e Mestre em Linguística Aplicada pela PUCRS. Ministrou aulas de Literatura Portuguesa e Língua Portuguesa na FAPA e de Editoração na Faculdade dos Meios de Comunicação Social da PUC e no Curso de Comunicação Social da Universidade Católica de Pelotas. 

Atualmente, é professor de Língua Portuguesa na Escola Superior do Ministério Público, na Escola de Gestão Pública da Famurs, na Justiça Federal, no Tribunal Regional Federal e no Instituto de Estudos Municipais, além de ministrar cursos e seminários destinados a profissionais liberais, executivos, servidores públicos, entidades de classe e organizações de treinamento e desenvolvimento de recursos humanos. 

É autor de diversos livros, destacando-se: Português Prático, Guia prático da nova ortografia, Redação oficial dos municípios e Os pecados da língua.
Além do magistério, Ledur tem destacada atuação como editor, seja a frente da Editora AGE, seja dirigindo o Instituto Estadual do Livro no RS, no biênio 93-94, ou presidindo, em 2002, o Conselho Estadual de Cultura do RS, e de 98-2001, a Câmara Rio-Grandense do Livro e a Feira do Livro de Porto Alegre. Essa atuação lhe valeu diversos prêmios, destacando-se a Medalha Caio Prado Jr. de Editoração Cultural, concedida pela União Brasileira de Escritores, do Rio de Janeiro, em 1994. O troféu Personalidade, da Câmara Rio-Grandense do Livro, e duas medalhas Simões Lopes Neto do Governo do RS e da Associação Brasileira de Escritores, ambas em 2002.

Ministrará esse ano, aqui na nossa Feira do Livro, Oficina com o seguinte tema: “Nosso aluno precisa pensar mais e decorar menos”, ou seja, pretende alertar aos professores sobre a necessidade de fazerem com que o aluno não se limite a decorar os conteúdos de Língua Portuguesa, mas que estimulem sempre a utilização do raciocínio lógico, dedutivo, da atenção e da reflexão.
Possui verdadeira capacidade de encantar os alunos. Um dos gramáticos mais sólidos, mais atualizados e mais didáticos do RS, e que pela quinta vez vem nos honrar e nos presentear na Feira do Livro de Caçapava do Sul.

Aproveitem, caros amigos, as lições desse mestre.

Com vocês, PAULO FLÁVIO LEDUR

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Homenagem a Marcelo Aquino

por Mariane de Macedo

 
  
Autoridades presentes, já nominadas pelo protocolo, senhoras e senhores, Marcelo, Boa Noite!

Recebi a tarefa do nosso coordenador da feira do livro, Pedro Vanolim, para fazer a apresentação do Marcelo. E, todas às vezes que ele me faz os convites somos cercados de peculiaridades. Desta vez não foi diferente. Mas, primeiro vou fazer a apresentação objetiva do Marcelo Aquino, que é ator e diretor gaúcho, radicado no Rio de Janeiro. Ele é graduado em Artes Cênicas pela Universidade da Cidade do Rio de janeiro.

Marcelo vem se dedicando ao estudo da fronteira entre a dança e o teatro na busca da construção de um espaço livre e criativo, onde atores e bailarinos encontrem um território de trocas e de afetos. Ele trabalha como ator de cinema, teatro e televisão realizando importantes trabalhos em empresas como Rede Globo e rede Record, além de atuar como diretor e preparador de elenco para espetáculos de teatro.

E hoje Marcelo está aqui, também, como escritor, lançando seu primeiro livro “A História do Príncipe que Nasceu Azul”, que contém uma dedicatória ao ator caçapavano, Maykel Teixeira, cuja lembrança permanece na memória dos amigos, dos fãs e dos familiares.

E aqui, nesta homenagem é que está a peculiaridade do convite do Pedro Vanolim. Por acaso, ele pediu que eu apresentasse o Marcelo, que irá fazer uma homenagem ao Maykel.
Será que o acaso existe?

Marcelo, o Maykel conviveu junto com meus filhos, é filho da amiga que combinou comigo de envelhecermos tricotando debaixo de uma árvore. A Opalina, que chamamos de Lina.
Todos nós conhecemos situações de acasos. Onde não há explicação lógica do que se passa. E cada um dá a explicação de acordo com suas crenças.

Mais importante que o saber por que acontecem as coisas, é poder saboreá-las a fundo, com admiração, aceitação e principalmente gratidão. E por isto faço o meu agradecimento, ao Pedro e a você, que não sabiam deste fato e me presentearam com a oportunidade de acarinhar a minha comadre.

É importante tentarmos entender porque às pessoas entram na nossa vida. Que não é por acaso. E, tem um pensamento que diz: Que algumas entram por uma RAZÃO, outras por uma ESTAÇÃO e outras por UMA VIDA INTEIRA.

Quando percebemos qual o motivo da presença destas pessoas, começamos a saber o que fazer com cada um destes relacionamentos.

Quando alguém entra na nossa vida por uma RAZÃO. É para suprir uma necessidade, estas pessoas vem para auxiliarem em um momento oportuno. Elas poderão ser dádivas de Deus. E são! Elas estão lá pela RAZÃO, que necessitamos que elas estejam. O que devemos entender é que nossas necessidades foram atendidas e elas cumpriram com o papel delas. E este é o papel que você hoje desempenha aqui Marcelo.
Já quando as pessoas entram na nossa vida por uma, ou algumas ESTAÇÕES é porque chegou a nossa vez de dividir, crescer e aprender. Elas nos trazem a experiência da paz e nos fazem rir. Elas poderão ensinar algo que nós nunca tínhamos pensado. Geralmente, oferecem uma quantidade enorme de AMOR, mas somente por algumas ESTAÇÕES. E este é o Maykel.

Relacionamentos de uma vida inteira ensinam para sempre, para uma vida inteira, mesmo. Coisas que devemos construir para ter uma formação emocional sólida. Nossa tarefa é aceitar a lição, amar a pessoa e colocar o que se aprendeu em uso, em todos os outros relacionamentos e áreas de nossas vidas. É dito, que o AMOR é cego, mas a amizade é clarividente. Obrigada Lina, por fazer parte de minha vida. Minha Vida Inteira!

Assim, vamos apresentar o Marcelo Aquino subjetivamente, que demonstra em sua declaração, após a confirmação da presença na feira, ser o que Jung chama de um ser almado, ou seja, que consegue olhar para o outro respeitando-o, tendo gratidão enfim homenageando.

Programação do Quarto Dia da XXIII Feira


O terceiro dia de feira, dia dedicado à poesia e às crianças, teve entre outras atividades o escritor Kalunga abrilhantando o público infantil. O escritor que é caçapavano de coração deixa um beijo no umbigo para ser sempre um amigo.

Por sua vez, o Patrono da XXIII Feira do Livro diz que se sente feliz e reforçou a sua impressão do modelo de feira do livro de Caçapava do Sul que valoriza o livro e a leitura mobilizando toda comunidade.

Confira a programação do 4° dia e não perca:

Dia 30 de abril – terça-feira – Dia dedicado à defesa do Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul

09:00 às 12:00h: oficina “Nosso aluno precisa pensar mais e decorar menos” (2.ª parte), ministrada por Paulo Flávio Ledur no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro;

09:00h: abertura da Feira e palestra de Euclides Torres e convidados abordando a importância do Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul;

10:00h: Airton Ortiz faz a palestra “Vale a pena estudar?” para alunos da 7ª, 8ª séries e ensino médio, no Salão Paroquial;

11:30h: fechamento dos estandes;

14:00h: abertura da Feira. Apresentações: E.M.E.F. Patrício Dias Ferreira; Programa AABB Comunidade; EMEF Dagoberto Barcellos e EMEF Alfredo Duarte;

15:00h: teatro “A chuva, o raio e o trovão”, apresentado pela turma AE, do I.E.E. Dinarte Ribeiro;

19:00h: apresentação da Invernada adulta do CTG Sentinela dos Cerros;

19:30h: Painel Integrado abordando o Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul;

A importância de Caçapava do Sul na História do Rio Grande do Sul, pelo jornalista Euclides Pinto Torres;

Situação atual do Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul, numa abordagem da Secretária de Cultura e Turismo Maria Alice Garcia dos Santos;

Inventário urbano do Centro Histórico, da mestre em Patrimônio Cultural pela UFSM arquiteta Michelle Campos Morais;

22:00h: fechamento dos estandes.

sábado, 27 de abril de 2013

Começou a 23ª edição da Feira do Livro

Por Gazeta de Caçapava e Provedor Farrapo


Os escritores de Caçapava que irão lançar livros são: Johnatan Osório, Lislair Leão Marques, Marcelo Spode e Maximilian Fries Caminhos do Sul da América; Alfredo Laureano de Brum Sobrinho, O Velho Franklin; Ivan Pessoa Moreira,Os Lírios do Alvorecer; Zeno Dias Chaves e Blau Souza, lançam a obra Pela Palavra Empenhada e alunos da escola Nossa Senhora da Assunção, lançam o livro de poesias, EENSA em Versos, que foi coordenado pela professora Tatiana Tavares Leão, em homenagem aos sessenta anos da escola.

- Fiquei entusiasmado com o lançamento do livro Doces Lembranças, em 2012. Pensei que este ano poderia novamente contribuir com a feira, por isso, assim que a edição passada encerrou, comecei a escrever O Velho Franklin. Um romance histórico, baseado em alguns fatos reais, com enfoque na solidão e velhice - conta Alfredo de Brum Sobrinho.

No Instituto Dinarte Ribeiro, acontecerá a exposição de fotografias Contextura do Abandono, dos caçapavanos Lislair Leão Marques, Daniel Miranda, Jacques Duarte Cassel e Juliano Teixeira Porto.

- A nossa exposição fotográfica é uma janela para memória histórica de Caçapava, passado forjado pela força de um povo guerreiro. Sob um olhar em preto e branco, de quatro amantes da fotografia, retratando a conservação da história, buscando a valorização de nosso patrimônio. O objetivo é guiar os olhos da sociedade, mostrando os detalhes das antigas construções e sua importância para o município, para não deixarmos cair em esquecimento ou abandono, pois o futuro de uma população depende de sua história - disse Juliano.

O Sarau Poético que será realizado amanhã em homenagem ao patrono, é coordenado pela Casa do Poeta, em parceria com o Ponto de Cultura, Secultur, Unipampa e Cineclube Vagalume. Serão apresentadas músicas e poesias de Vinícius de Moraes. De acordo com Felícia Lopes, o objetivo é divulgar a arte, valorizar os artistas locais e fazer com que mais pessoas se interessem por isso

O patrimônio histórico de Caçapava será tema de um painel, apresentado pelo jornalista Euclides Torres, secretária de Cultura e Turismo Maria Alice Santos e pela arquiteta e mestre em patrimônio cultural pela UFSM, Michelle Campos Morais, que irá apresentar um estudo feito sobre a situação dos 24 prédios históricos da cidade.

- Queremos chamar a atenção para os prédios históricos de Caçapava que estão pra lá de precários. Mostrar a importância deste patrimônio para o turismo histórico e que a cidade faz parte desta importante rota. A idéia é mobilizar estudantes, mas toda comunidade está convidada a participar. Quem não conhece o passado, não pode compreender o presente e compromete o futuro - disse o jornalista.

O encerramento da feira, no domingo, dia 05, que geralmente é feito por artistas de fora, nesta edição será realizado pelo Grupo Sul em Canto. Veja a programação completa na página ao lado.

Começou a Maior Festa Cultural de Caçapava do Sul

Por Lorenzo Stefani
Na noite desta sexta-feira, dia 26, teve início a 23° Feira do Livro de Caçapava do Sul, que vai até o dia 05 de maio com uma programação intensa, envolvendo escritores, escolas, clubes de serviços, entidades representativas e acima de tudo os poderes públicos constituídos. A Feira está sendo realizada nas dependências do Salão Paroquial. 

Na primeira noite aconteceu o toque da sinete pelos xerifes da Feira, o casal Luiz Hugo e Denise Burin e a visita das autoridades nos estandes, na seqüência uma apresentação musical do artista Carlos Catuípe e a transmissão do cargo de Patrono, onde Rivadavia Severo entrou o cargo para o novo Patrono, Airton Ortiz. Para finalizar o primeiro dia da feira aconteceu a homenagem ao escritor Francisco Pereira Rodrigues. 

O Prefeito Otomar Vivian foi a única autoridade a se pronunciar e falou da importância da Feira do Livro para o município e que o Governo estará sempre ao lado da cultura local e regional, além da parabenizar a comissão organizadora do evento, através do coordenador geral, Pedro Vanolin Macedo. 

Participaram também da abertura da Feira, os Padres Rudinei Lach e Matheus Venturini, o Presidente da Câmara José Sidnei Menezes e as entidades responsáveis pelos estandes, além de Secretários Municipais e Vereadores. 

Acompanhe abaixo o resumo dos próximos nove dias da 23° Feira do Livro de Caçapava do Sul:


 - Dia 27 de abril – sábado - Dia dedicado ao Patrono da Feira do Livro, escritor Airton Ortiz;
 - Dia 28 de abril – domingo - Dia dedicado à importância da leitura;
 - Dia 29 de abril - segunda-feira - Dia dedicado à poesia e às crianças;
- Dia 30 de abril – terça-feira – Dia dedicado à defesa do Patrimônio Histórico de Caçapava;
 - Dia 1.º de maio - quarta-feira – Dia dedicado à diversidade e à integração cultural;
 - Dia 2 de maio - quinta- feira – Dia dedicado à Literatura Infantojuvenil;
 - Dia 3 de maio – sexta-feira – Dia dedicado à valorização do livro e da leitura;
 - Dia 4 de maio – sábado – Dia dedicado aos escritores caçapavanos e convidados;
 - Dia 5 de maio – domingo – Dia dedicado ao encerramento da Feira do Livro.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Comissão da 23° Feira do Livro entrega programação ao Prefeito

Por Lorenzo Stefani

Na tarde desta quinta-feira, dia 25, a Comissão organizadora da 23° Feira do Livro de Caçapava do Sul, coordenada por Pedro Vanolin Macedo, entregou ao Prefeito de Caçapava do Sul, Otomar Vivian, a programação e o cartaz do evento que começa nesta sexta-feira, dia 26 de abril e vai até o dia 05 de maio no salão paroquial. 
Segundo o coordenador da maior festa cultural de Caçapava, Pedro Vanolin, a comissão está entregando oficialmente este convite ao Prefeito porque ele é o anfitrião do evento e o principal incentivador da festa, onde a Prefeitura entra com uma contribuição de aproximadamente R$ 20 mil, tornando viável a feira para a comunidade. 
Macedo espera um grande público nos 10 dias de evento, onde o Patrono é o escritor Airton Ortiz.

O Prefeito garantiu a presença de todo o governo na abertura da Feira e um representante da administração nas demais programações.


PROGRAMAÇÃO


Dia 26 de abril – sexta-feira - Dia dedicado à abertura da Feira do Livro de Caçapava do Sul

19:00h: abertura da Feira;

Toque de sineta pelos Xerifes da Feira Denise Burin e Luiz Hugo Burin;

Visita das autoridades aos estandes;

Chamada das autoridades para a mesa dos trabalhos;

19:15h: Loma Pereira e Carlos Catuípe apresentam “Cantigas de Litoral”;

19:45h: cerimônia de transmissão do cargo de Patrono da Feira, de Rivadavia Severo para Airton Ortiz, com manifestação de ambos;

20:00h: homenagem ao escritor Francisco Pereira Rodrigues. Orador: Alcy Cheuiche;

20:30h: pronunciamento das autoridades, encerrando com a palavra do Prefeito Otomar Oleques Vivian.

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 27 de abril – sábado - Dia dedicado ao Patrono da Feira do Livro, escritor Airton Ortiz

16:00h: abertura da Feira;

16:15h: apresentações: Invernada Artística Raça Gaúcha, do CTG Clareira da Mata; Invernada Artística do CTG Pampa e Querência e Academia Espaço Dança Fazendo Arte, da professora Juliana Silva Flores;

19:00h: apresentação do Sarau Poético organizado pela Casa do Poeta Caçapavano, Ponto de Cultura, Secultur, Unipampa e Cineclube Vagalume em homenagem ao Patrono da Feira;

20:00h: homenagem ao Patrono da Feira do Livro. Oradora: Nicole Bartmer;

20:10h: Airton Ortiz faz a palestra “Uma volta ao Mundo em 15 Livros”, abordando diferentes culturas observadas ao longo de suas viagens;

21:00h: sessão de autógrafos do Patrono;

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 28 de abril – domingo - Dia dedicado à importância da leitura

16:00h: abertura da Feira;

16:05h: o ator, diretor e escritor Marcelo Aquino conversa sobre a dramaturgia dentro da escola, valorizando a participação de alunos e professores;

17:00h: apresentação da peça “O Diabo dos Números”, representada pelo programa Institucional de Bolsistas de Iniciação à Docência (PIBID), Ciências Exatas, Matemática, da Unipampa Caçapava do Sul;

19:00h: momento musical com Duda Brito, Carine Cordeiro e Rogério Silva;

19:40h: homenagem ao ator e escritor Marcelo Aquino. Oradora: Mariane de Macedo;

19:50h: Marcelo Aquino faz o lançamento do seu livro “A História do Príncipe que Nasceu Azul”, publicado pela Editora Giostri, de São Paulo, com dedicatória ao ator caçapavano Maykel Teixeira;

20:00h: homenagem ao professor Paulo Flávio Ledur. Oradora: Janaina Souza;

20:15h: palestra de Paulo Flávio Ledur abordando “A importância da leitura na vida das pessoas”;

21:00h: sessão de autógrafos do “Manual de Redação Oficial dos Municípios” e outros livros de Paulo Flávio Ledur, e do livro “A História do Príncipe que Nasceu Azul”, de Marcelo Aquino;

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 29 de abril - segunda-feira - Dia dedicado à poesia e às crianças

09:00 às 12:00h: oficina “Nosso aluno precisa pensar mais e decorar menos” (1.ª parte), ministrada por Paulo Flávio Ledur no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro;

09:00h: abertura da Feira e da exposição de fotografias de Lislair Leão Marques, Daniel Miranda, Jacques Duarte Cassel e Juliano Teixeira Porto “Contextura do Abandono” (que permanece até seis de maio, em horário escolar).  Local: I.E.E. Dinarte Ribeiro;

09:30h: apresentação da Escola Estadual Eliana Bassi de Melo;

09:45h: lançamento do livro “A EENSA em versos”, com poemas alusivos aos 60 anos da Escola Nossa Senhora da Assunção, organizado por Tatiana Tavares Leão;

10:00h: lançamento da segunda edição da revista de histórias em quadrinhos “Poderes sobre a terra”, de Mariana Freitas Scherer;

10:15h: palestra-show com Kalunga: “Pra que complicar a vida?”;

11:30h: fechamento dos estandes;

14:00h: abertura da Feira e apresentações: E.E.E.F. Cônego Ortiz; E.M. São Judas Tadeu e Colégio Coeducar. (turmas 21, 31 e 51);

14:00h: Paulo Flávio Ledur conversa com alunos do ensino médio. Local: I.E.E. Dinarte Ribeiro;

15:30h: show poético-musical infantil com Kalunga (o escritor show): “A Melodia da Imaginação”;

19:00h: apresentação artística da APAE e do Colégio Coeducar. (turmas 11, 41 e 51)

19:30h: homenagem à professora Alda Marques Severo. Oradora: Fátima Jovane de Melo Reck;

20:00h: homenagem ao escritor Kalunga. Oradora: Rosane Miolo dos Santos, patronesse da XVI Feira do Livro;

20:15h: palestra-show de Kalunga abordando a contribuição da leitura na construção da cidadania;

21:00h: lançamento e sessão de autógrafos do “Grenalzinho é sempre Grenalzinho” e outros livros de Kalunga;

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 30 de abril – terça-feira – Dia dedicado à defesa do Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul

09:00 às 12:00h: oficina “Nosso aluno precisa pensar mais e decorar menos” (2.ª parte), ministrada por Paulo Flávio Ledur no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro;

09:00h: abertura da Feira e palestra de Euclides Torres e convidados abordando a importância do Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul;

10:00h: Airton Ortiz faz a palestra “Vale a pena estudar?” para alunos da 7ª, 8ª séries e ensino médio, no Salão Paroquial;

11:30h: fechamento dos estandes;

14:00h: abertura da Feira. Apresentações: E.M.E.F. Patrício Dias Ferreira; Programa AABB Comunidade; EMEF Dagoberto Barcellos e EMEF Alfredo Duarte;

15:00h: teatro “A chuva, o raio e o trovão”, apresentado pela turma AE, do I.E.E. Dinarte Ribeiro;

19:00h: apresentação da Invernada adulta do CTG Sentinela dos Cerros;

19:30h: Painel Integrado abordando o Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul;

A importância de Caçapava do Sul na História do Rio Grande do Sul, pelo jornalista Euclides Pinto Torres;

Situação atual do Patrimônio Histórico de Caçapava do Sul, numa abordagem da Secretária de Cultura e Turismo Maria Alice Garcia dos Santos;

Inventário urbano do Centro Histórico, da mestre em Patrimônio Cultural pela UFSM arquiteta Michelle Campos Morais;

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 1.º de maio - quarta-feira – Dia dedicado à diversidade e à integração cultural

08:00h: comemoração do 30 de Abril e homenagem ao Presidente Borges de Medeiros pelo sesquicentenário de seu nascimento. Orador: Rivadavia Severo.  Local: FEMAPRO.

09:00 às 12:00h: oficina “Diário de Bordo” (1.ª parte), ministrada por Airton Ortiz no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro;

10:00h: abertura da Feira do Livro e apresentação do projeto Arca da Cultura;

10:10h: apresentação do Grupo de Danças Arca da Cultura;

10:30h: exibição do vídeo-documentário “Fazendo Cultura com os Jovens”, com participação dos palestrantes Roberto Tejada, Geane Dorneles e Cátia Cilene Morais Dutra;

11:30h: fechamento dos estandes;

14:00h: abertura da Feira e seminário para produtores culturais sobre projetos (LIC, Siconv e Lei Rouanet), com participação de Maria Alice dos Santos, Secretária de Cultura e Turismo, e Paulo César Salva Mora, da Assembleia Legislativa do Estado;

15:00h: apresentação da Orquestra de Sucata Arca da Cultura, com participação de Chicão Dornelles, de Porto Alegre. Local: ônibus Arca da Cultura;

15:30h: apresentação do Grupo de Hip-Hop Arca da Cultura. Local: ônibus Arca da Cultura;

16:00h: apresentação da peça teatral “Nós negros”, da Arca da Cultura. Local: FEMAPRO;

17:00h: apresentação de filme escolhido por votação, pelo Cineclube Vagalume. Local: Feira do Livro;

18:30h: concerto musical do Grupo de Violões “Som e Vozes” e apresentação da Invernada Artística Adulta do CTG. Pousada da Serra de Nova Petrópolis.  Local: Feira do Livro;

19:30h: apresentação do Grupo de Danças do Projeto Arca da Cultura, do Grupo Cambonaço e Banda Travessia.  Local: FEMAPRO;

20:30h: A origem do Dia do Trabalho e as formas de trabalho que já houve no mundo. Orador: Rivadavia Severo. Local: Feira do Livro;

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 2 de maio - quinta- feira – Dia dedicado à Literatura Infantojuvenil

09:00 às 12:00h: oficina “Diário de Bordo” (2.ª parte), ministrada por Airton Ortiz no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro. 

14:00h: abertura da Feira e apresentações: DTG da E.M.E.F. Augusto Vitor Costa; E.M.E.F. São João Batista; E.M.E.F. Nossa Senhora das Graças; Escola Técnica Estadual Rubens da Rosa Guedes e E.E.E.F. Cônego Ortiz. 

15:00h: teatro: “Mônica em O Mundo Encantado”, com a turma 201 do I.E.E. Dinarte Ribeiro. 

18:00h: missa em Ação de Graças aos 23 anos da Feira do Livro. 

19:00h: sessão solene da Câmara Municipal de Vereadores. 

20:00h: homenagem ao escritor Caio Riter. Oradora: Carmeliane Rodrigues Batista. 

20:00h: palestra de Caio Riter: "Ler e escrever: uma experiência literária". 

21:00h: sessão de autógrafos de Caio Riter. 

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 3 de maio – sexta-feira – Dia dedicado à valorização do livro e da leitura

9:00 às 12:00h: oficina “A arte de contar histórias” (1.ª parte), ministrada por Juliano Canal e Morgana Rodrigues no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro;

13:30h: abertura da Feira e apresentação teatral “O Tesouro Iluminado”, da obra de Caio Riter, com Teatro Nó Cego, de Porto Alegre, RS, no Salão Nobre da URCAMP;

15:00h: apresentação do ballet da Escola Infantil Turma da Mônica;

15:15h: Caio Ritter conversa com alunos;

15:00 às 18:00h: oficina “A arte de contar histórias” (2.ª parte), ministrada por Juliano Canal e Morgana Rodrigues no Instituto Estadual de Educação Dinarte Ribeiro;

19:00h: apresentação do Coral Municipal Infanto-Juvenil e da cantora Jordana Henriques de Oliveira;

19:30h: homenagem da Biblioteca Pública Municipal Domingos José de Almeida a seus leitores;

19:40h: apresentação do projeto Caravana de Escritores, realizado pela Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) da Fundação Biblioteca Nacional (FBN), com recursos do Ministério da Cultura (MinC) e em parceria com a Câmara Brasileira do Livro (CBL). Orador: Pedro Vanolin Macedo;

19:50h: homenagem ao escritor Pedro Brum Santos. Oradora: Luiza Casanova;

20:00h: debate sobre a importância da leitura (e sua influência na vida de cada um), com os escritores Airton Ortiz, Caio Riter e Pedro Brum Santos, com mediação de Rivadavia Severo e espaço destinado à participação do público;

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 4 de maio – sábado – Dia dedicado aos escritores caçapavanos e convidados


Livros que serão autografados:  “Caminhos do Sul da América”, de Johnatan Osorio, Lislair Leão Marques(org), Marcelo Spode e Maximilian Fries; “Meu pago é assim”  e “Um rastro campeiro”, de Luiz Carlos Molina (Bagé); “O Inventário da Sombra” e “Parece a Vida”, de Gujo Teixeira (Lavras do Sul); “O Velho Franklin”, de Alfredo Laureano de Brum Sobrinho; “Os lírios do alvorecer”, de Ivan Pessoa Moreira; “Pela palavra empenhada”, de Blau Souza (Lavras do Sul) e Zeno Dias Chaves.

16:00h: abertura da Feira.

16:15h: apresentações: Invernada mirim do CTG Família Nativista; Coral Cantar é Viver, com regência de Gerson Núbias; Grupo de Dança Roda de Chimarrão do I.E.E.Dinarte Ribeiro e Artes Marciais da Academia Phisical.

19:00h: apresentação do Grupo de Arte Nativa “Os Chimangos”.

19:30h: homenagem à professora Margarida Moreno. Oradora: Marinês Reck Razzera Huerta.

19:45h: saudação aos escritores caçapavanos.  Orador: Jacques Duarte Cassel.

20:00h: espaço destinado à manifestação dos escritores caçapavanos e entrega dos troféus.

21:00h: sessão de autógrafos dos escritores caçapavanos e convidados.

22:00h: fechamento dos estandes.



Dia 5 de maio – domingo – Dia dedicado ao encerramento da Feira do Livro

12:00h: almoço festivo “Homens na Cozinha”, na AABB, promovido pelo Lions Clube;

16:00h: abertura da Feira;

16:15h: apresentação da Banda Municipal Dr. Cyro Carlos de Melo em frente ao Salão Paroquial;

17:00h: apresentações: Coral Vivência, com regência de Gerson Núbias; Amanda Bairros e Academia MIX Dance, da professora Kátia Xavier dos Santos;

19:00h: apresentação do Grupo de Danças Afro-brasileiras Clara Nunes;

19:30h: homenagem à professora Vanda Beatriz Marques Sitó. Oradora: Maria Alice Garcia dos Santos;

19:45h: Airton Ortiz dá a palavra final no último dia da Feira do Livro;

20:30h: apresentação do Grupo Sul em Canto, formado por Adriana Inácio, Adriana Dias, Ana Paula Oliveira e Renata Bairros;

22:00h: fechamento dos estandes e encerramento da XXIII Feira do Livro.


terça-feira, 23 de abril de 2013

O Livro e sua Mágica

Por Walter Galvani

 Vivo no meio dos livros. Eles fazem bem para minha cabeça e me trazem dificuldades imensas por causa da minha rinite alérgica. Como se sabe esta é uma irritação que começa em algum pó que é levantado ou numa mudança de temperatura, numa rajada de vento ou numa brisa fresca, e não tem remédio. Convivo com isso todos os dias, desde que descobri que meu saudoso pai também dela sofria e isso não impedia a sua convivência com o “Amansa-burros” que tanto me foi útil. Ainda hoje, vejo-o daqui, na prateleira atrás do computador, ali está ele, o “Diccionário Prático e Illustrado” de Jayme de Seguier, editado pela editora Lello, da cidade do Porto, Portugal, aliás a “mais bela livraria do mundo!”

Duvidam, então procurem-na pela Internet, ou façam como eu que fui à Portugal e levava essa missão específica.

Fotografei-a e deixei-me fotografar em seu interior. É uma igreja, ou melhor , uma catedral, a catedral do livro, que este é o seu santo padroeiro.
E como esta é a Semana do Livro em toda a parte do mundo ocidental, nascida no culto a Shakespeare e Cervantes, eis que ambos morreram no dia 23 de abril, e como há sessenta anos resolvemos copiar o que estava certo e desde então realizamos “Feiras de Livro” aqui no Rio Grande do Sul (começou por Porto Alegre que justamente fará a 60ª.em outubro, a partir do dia 25) e também Semanas do Livro e o Dia do Livro, enfim prestamos nossa homenagem a este objeto tecnologicamente perfeito que é o livro e que nos acompanha há séculos e séculos. 

Meu exemplar mais antigo é “The Complete Works of William Shakespeare”, mas nem digo de onde o tirei, isso só vou revelar em minhas memórias, a história da minha trajetória literária e jornalística, que estou preparando para a hora dos oitentinhas... que está chegando.

Pois é assim mesmo. Segunda-feira à noite vou abrir o jogo sobre a criação de crônicas, coisa que me acompanha, de uma forma ou de outra desde 1954, e sempre que posso tiro meu hipotético chapéu para o Irmão Henrique Justo que, com pouco mais de noventa está firme e forte vivendo no Instituto La Salle em Canoas, meu primeiro mestre de literatura.

Com uma obra de no mínimo treze livros e mais algumas cooperações em meia dúzia de antologias, me sinto em condições de pregar que, com rinite e tudo, não poderia viver sem os livros e aqui estou eu, fungando, espirrando, assoando o nariz, mas lendo. Obrigado, Irmão Henrique, obrigado William, obrigado Don Miguel e Jayme de Seguier, Byron, Castro Alves, e tantos milhares que deram contribuição para manter esta mágica.

Aqui mesmo, nas páginas deste jornal vou ser lido, tenho certeza, por alguém que sonha botar suas ideias num papel impresso e circular num volume, algo tão mágico como o Livro. Digam-me algum objeto tecnológico melhor do que ele.

Não tem frio, calor, chuva, sol, nada o impede de transitar, não precisa de energia elétrica nem bateria.

Está pronto. Passa a ser um ícone e uma joia preciosa. E agora, você vai a Ivotí, Estância Velha ou Esteio, é que tem um evento por esses lugares lembrando o Livro, ou aguarda a feira de sua cidade ou sim, Porto Alegre, a capital que cultiva o livro na praça a partir da última semana de outubro e vai fazer isso pelo 60º.ano consecutivo. Logo será em Novo Hamburgo, São Leopoldo, Campo Bom, Gramado ou Taquara, enfim, onde você for terá à mão uma lembrança e um acontecimento desses. 

Reze junto comigo, com rinite ou sem rinite, pela permanência na face da Terra desse fenômeno mundial.

Livraço Mov pelo Dia do Livro



Por Alcy Cheuiche

"LER PARA SONHAR, SONHAR PARA CONSTRUIR O MUNDO ONDE QUEREMOS VIVER"

Povo bem instruído gera uma sociedade consciente dos direitos e deveres da liberdade de expressão e respeito pelo seu habitat maior, sua terra, sua gente, seu patrimônio e memória.

O Conselho Estadual de Cultural, Entidades Literárias, Artísticas e Comunidade Rio-Grandense, farão realizar um grande abraço cultural à Biblioteca Pública do Estado, no dia 23 de abril, Dia do Livro, como homenagem da sociedade à importância capital da leitura e por uma Nova Sede apropriada para receber seus 240 mil exemplares atuais e acréscimos para os próximos 20 anos.

            O PONTO DE REUNIÃO será no MEMORIAL DO RIO GRANDE DO SUL, panteão de nossas Instituições Culturais, Históricas, de Patrimônio e Memória, às 12h (meio-dia) do dia 23 de abril de 2013, Dia do Livro.
            Cada participante poderá vir com uma camiseta Vermelha ou Verde ou Amarela, cores de nossa Bandeira Rio-Grandense, e com um LIVRO nas mãos, de sua escolha.

Será realizada, então, uma caminhada de leitura, subindo a Rua da Ladeira até a frente da Biblioteca Pública do Estado, onde se realizará o abraço simbólico.

Vamos Abraçar a Biblioteca Pública


Por  Alcy Cheuiche


Inaugurada em 1912, nossa Biblioteca Pública está sofrendo uma belíssima restauração. Possivelmente, até o fim do ano, poderemos voltar ao seu convívio. Mas não como antigamente. Por uma decisão sábia, o prédio centenário deverá transformar-se numa espécie de casa de cultura, ou museu histórico do livro. Iremos visitá-la para assistir conferências no famoso Salão Mourisco, para consultar obras raras e, talvez, para manusear uma grande coleção de livros escritos por autores gaúchos. 

O que fazer então com seu acervo de cerca de um quarto de milhão de obras, a maioria encaixotadas? Como biblioteca, em grego, significa “casa dos livros”, toda essa fortuna cultural merece uma nova moradia. Uma casa à altura desta primeira sede, mas muito maior, para que não se torne pequena dentro de cem anos. 

O desafio que precisamos enfrentar juntos, sob a liderança do Governador Tarso Genro, também ele um escritor, já foi enfrentado por Borges de Medeiros. Foi preciso ter muita coragem para investir enormes recursos na educação e na cultura (irmãs gêmeas inseparáveis), numa época em que outras prioridades provocavam o clamor da população rio-grandense. Basta ler os jornais da época para comprovar como os poços de água potável de Porto Alegre e das principais cidades do interior estavam contaminados e não possuíamos rede hidráulica, nem saneamento básico. Não possuíamos nem mesmo um banco público estadual de investimento, pois o Banrisul só foi fundado em 1928. Mesmo assim, foram obtidos os recursos para edificar o magnífico prédio da Rua Riachuelo. E nenhum jornal da época criticou essa decisão das autoridades. 

Não estamos, no entanto, pregando que o Governo do Estado deva construir sozinho a nova sede da biblioteca. Todos nós, amigos dos livros, devemos colaborar para isso. Mas precisamos de uma liderança que aglutine todos os esforços, que nos indique o melhor caminho. 

No dia do livro, vamos dar um grande abraço na Biblioteca Pública. Um abraço de agradecimento por um século de sabedoria. Um abraço com o único objetivo de fazer-lhe uma promessa. Se depender de nós, o centro histórico de Porto Alegre irá ganhar, ainda neste decênio, uma nova casa dos livros. Quem se engajar conosco nesta caminhada não estará se posicionando contra ninguém. Apenas a favor do livro, nossa grande paixão. 

sábado, 20 de abril de 2013

Jornalista Euclides Torres

Fonte: Gazeta de Caçapava



O jornalista e escritor Euclides Torres foi indicado e aprovado membro do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. O instituto existe desde 1920 e congrega pesquisadores, historiadores, os principais autores e bibliografias e é referência em pesquisa.

- É uma honraria, uma oportunidade de conversa com grandes conhecedores da história e geografia do Estado e acesso aos melhores acervos. É um instituto não governamental que se dedica a preservação da memória, cultura e história. A maioria dos historiados riograndenses fazem parte do Instituto Histórico e Geográfico - disse o escritor.

Euclides Torres foi comunicado pelo escritor Blau Souza, que é membro da diretoria. A solenidade deve acontecer em junho, no auditório do instituto, em Porto Alegre.